segunda-feira, 10 de setembro de 2018

O Brasil que eu quero


Não tem medo em cada esquina, em cada curva, em cada beco.
Não pode ter necessidade de trocar comida por voto.
Não pode acreditar em tudo que lê na rede social sem ler no jornal.
Não pode deixar a água correr rua abaixo e não chegar ao local correto da pessoa de bem.
Não pode aceitar que um jogador de futebol seja mais importante que um faxineiro, que um padeiro, que um leiteiro, que um professor.
Não pode fechar os olhos para o pensamento alheio em relação a sua escolha sexual.
Não pode deixar que cor de pele seja importante para algo.
Não pode deixar que ninguém seja melhor que ninguém.
Não tenha distinção de inteligência e acredite que mulheres e homens são iguais.
Não passa na rede Globo. Também não passa no SBT, na Record, na RedeTv, na Band, na Gazeta, na Cultura ou na tv paga.
Todos, no mundo todo, tem direito à vida, à segurança, a ser feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É legal expor o que pensamos, eu já fiz a minha parte e você está fazendo a sua agora, e eu agradeço.