sexta-feira, 7 de abril de 2017

A velhice chega

A velhice chega. Cedo ou tarde ela chega. Na verdade ela chega na hora certa, sem atrasar um dia sequer. Mas chega para quem a deixa chegar. Conheço velhos com seis ou sete anos de idade, bem como conheço jovens de setenta e poucos anos.

As vezes a velhice chega e a gente nem percebe, afinal o coração ainda é jovial, sem se preocupar com aspectos da velhice. Em contrapartida, tem gente que é velho há tempos e nem percebe isso, mas apresenta sinais de velhice em boa parte das atividades.

Eu nasci em 1975 e não sei o que é ser velho. Em minha mente ainda sou uma criança, pois aprendo diariamente com todos. Mas não faço criancices, apenas curto o momento querendo tirar o melhor dele sempre. Não sei se irei ser um velho “convencional” pois meu maior exemplo morreu com mais de setenta anos sendo uma criança.

Há uma criança e um ser idoso dentro de cada um, cabe decidir qual será acordado.

Um comentário:

  1. Que bom que o jovem rapaz
    Já está pensando em velhice
    Quase à plena meninice
    Que tanto vale e compraz

    Desejo saúde e paz
    Pelo que escrevendo disse
    Ser bobagem ser tolice
    Pensar que velhice traz

    Um sentimento de medo
    Como se fosse um degredo
    A idade mais avançada.

    A vida é um grande segredo
    Que penso ser o arremedo
    Da morte em ser tudo ou nada.

    Grande abraço. Boa Páscoa, já próxima. Cordialmente. Laerte.

    ResponderExcluir

É legal expor o que pensamos, eu já fiz a minha parte e você está fazendo a sua agora, e eu agradeço.