segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Santos mortos

Eduardo Campos morreu e virou o melhor politico do  Brasil (assim como fora com Ulisses Guimarães e temo que venha a ser com Paulo Maluf).

Hermes e Renato sempre teve um humor apelativo, pelo que ouvi e nunca assisti, e Fausto Fanti virou o “melhor comediante do Brasil”.

“Uma baba quase perfeita” é um filme mediano, mas tudo que Robin Willians fez virou cult.

É assim no Brasil, e acredito que no mundo também. O famoso morre e vira super star, assume um papel que nunca teve em vida.

E não é de hoje, basta ver a forma que transformaram Cazuza em um Deus, e o cara era bem mediano (amo Cazuza e conheço sua obra que não se resume a ser exagerado ou um codinome beija flor em busca de ideologia), Airton Senna, que aprontava mil e umas passando por cima dos outros para ter a sua vitória, entre tanto outros.

Já falei isso uma outra vez (leia aqui), vamos dar valor a quem está vivo, a quem está ai tentando seu lugar ao sol, pois esses ai já se foram, não existe paz de espirito só porque o cara morreu.

Viva os vivos!

2 comentários:

  1. Sua expressão: "Viva os vivos!", é hilária, mas é verdade! Que vivam os vivos..., deixa os mortos pra lá!...
    Abraço.

    ResponderExcluir

É legal expor o que pensamos, eu já fiz a minha parte e você está fazendo a sua agora, e eu agradeço.